Tamo Junto!

Quem colabora com o projeto.

Olá! Eu sou a Nicole. Em nossa casa moram 4 pessoas, dois adultos e duas crianças – uma família. É claro que não existe casa “sem” lixo, mas meu objetivo é compartilhar nossa caminhada em busca de uma vida sem “desperdícios”, nossos esforços em nos livrar de tudo que afeta negativamente à natureza ou que não terá um destino saudável a ela. Por um mundo onde ser é mais importante que ter, e as experiências tem mais valor que as coisas.

Quem está com a gente?

Conheça pessoas, grupos, iniciativas, instituições, organizações, restaurantes, empresas, plataformas… que nos inspiram:

Instituto Lixo Zero
Meu Copo Eco
EcoBordado
Origem
Rastro
Cozy
Davi
Zera
Um Lixo A Menos
Menos Um Lixo

Alguns depoimentos

Sempre fui ligada ao cuidado com a Terra, reciclagem, mas o contato com a Casa Sem Lixo me levou para um novo patamar de reflexão. Não é só sobre o cuidado com a Terra, mas sobre o cuidado conosco, com as outras pessoas. Cuidado com aquilo que absorvemos, consumimos e desejamos. Fora que todo o trabalho da Casa Sem Lixo é feito com muita dedicação e bom gosto. Amo!

Rebeca Almeida
Joanesburgo - África do Sul

A Casa sem Lixo tem sido uma grande inspiração para mim e para a minha família. Acho as ideias e receitas são práticas e adaptáveis à realidade da nossa família. Às vezes me perguntam: “por que você faz o próprio detergente de lavar roupa, existem tantas opções no mercado!” E eu respondo: “por que não fazer? É simples, rápido de fazer, barato e eficiente.” É esta a mensagem que eu encontrei na Casa sem Lixo e aonde eu encontro motivação para fazer o melhor pelo nosso planeta, nossa casa, nossa família, nosso corpo. Obrigada por terem uma mensagem sem julgamento e sem radicalismos. Vocês têm mostrado o quanto faz sentido se importar com o meio ambiente. Com vocês eu aprendi que o meu comportamento não depende das minhas condições e sim das minhas decisões.

Patricia França
Cascais - Portugal

Conhecer a Nicole, um pouco da sua família através do Theo (seu filho) e o projeto da Casa Sem Lixo é gratificante. Já ouvi a Nicole algumas vezes e a cada conversa me sinto mais e mais tocada. A primeira expressão que eu peguei, foi: “o lixo é meu”. Sempre fico pensando nessa fala e me sinto muito responsável por aquilo que preciso descartar. Em vários momentos já coloco o MEU lixo na bolsa e trago para casa. Na última conversa, fiquei muito tocada com o “OLHAR INTERIOR”. Olhar para o meu interior, olhar para dentro da minha casa e de cada cômodo. O meu lixo, o meu desperdício. Para mim, para minha família, a Nicole plantou uma sementinha do bem à natureza, ao planeta e nós já estamos começando a cultivar com muito cuidado e atenção. Olhar para o nosso lixo é conseguir olhar para o nosso interior. Obrigada, Nicole por conhecer você e o seu boníssimo projeto.

Vivi, Cesar e Bella
Florianópolis - SC - Brasil

Acompanho a “Casa sem Lixo” desde o início e tenho o privilégio de ver de perto o trabalho da Nicole. Sempre achei que já fazia minha parte pelo planeta separando o lixo reciclável do orgânico, até que, felizmente, influenciada pelo trabalho dela, comecei a repensar tantas atitudes. Coisas simples que poderiam mudar no meu dia a dia! Com a Nicole também aprendi que esse movimento tem tudo a ver com a minha fé, pois o Criador deixou esse mundo cheio de coisas maravilhosas para cuidarmos. Percebi que as nossas atitudes de hoje serão o resultado do mundo que deixaremos para os nossos filhos, netos, bisnetos… Ainda estou no caminho, tenho muito a mudar! Cada dia tento me desafiar a melhorar de alguma forma, muitas vezes não é fácil deixar o hábito de uma vida toda, mas vale a pena! Sou grata pelo projeto da Casa sem Lixo ter aberto os meus olhos para tantas coisas e feliz porque posso ver que, através disso, eu também tenho deixado sementinhas e influenciado algumas pessoas por aí!

Aline Barzoto Souza
Florianópolis - SC - Brasil

Há 2 anos conheci o Paulo, marido da Nicole, da Casa sem Lixo. Convivendo com ele por questões profissionais comecei a observar o hábito de não tomar café em copos descartáveis e a preferência por utensílios de vidro, ou o copo que ele mesmo carregava. Confesso que achei aquilo um excesso sem sentido. Até o dia em que ele me falou: “sou o Pai na Casa sem Lixo e coerente com o que ensinamos aos nossos filhos”, esse foi o chacoalhão que eu precisava para prestar mais atenção ao tema. Passei a seguir a @casasemlixo, depois conheci a Nicole e fui prestigiá-la em uma palestra. Eu desconhecia os números, a quantidade de plástico que alcança os mares e a destruição que nossos hábitos diários estão causando em nosso planeta! Não haverá lugar para as futuras gerações se continuarmos com os mesmos hábitos (e na memória vem cenas do filme Waterworld e o ser anfíbio representado por Kevin Costner), fato! O planeta talvez não vire um gigantesco oceano com terra firme escondida em algum lugar secreto, mas certamente nos tornaremos insanos na luta por comida de verdade e tudo porque hoje decidimos nos manter na vida “soft” que os alimentos prontos e o microondas proporcionam. Casa Sem Lixo mudou o meu olhar para o planeta e meio ambiente, fez eu perceber que fazemos parte de um Ecossistema único no mundo e que as minhas escolhas afetam todos ao trazer consciência sobre hoje e as futuras gerações (preocupada com os filhos que deixará para o mundo), respeito (ao tempo que cada um de nós precisa pra fazer as mudanças necessárias) e com Amor ao que somos: humanos que precisam de um (bom) lugar pra viver!

Juliana Fogaça
Florianópolis - SC - Brasil

Fui apresentada a Casa sem lixo por meio da escola no qual trabalho, onde juntos caminhamos numa perspectiva de compreender melhor a importância do lixo que produzimos e as influências do mesmo para o planeta. Pensando a “longo prazo” (30, 40 anos) o que será de nosso planeta?! Nesse movimento coletivo iniciado na escola, juntamente com o auxílio da Nicole, propulsora do projeto, fiquei de fato assustada ao saber por meio de dados alarmantes a quantidade absurda de lixo que colocamos no planeta! Sim, somos extremamente responsáveis por isso quando compactuamos com a lógica consumista de que comprar, ter tudo que eu desejo é viver com qualidade de vida! Eis que descobri o grande segredo, isso é furada! Quando você adere a essa lógica, não só passa a consumir uma maior quantidade lixo como passa a fazer uso de mais produtos químicos que pouco a pouco tiram a sua qualidade de vida, e interferem trazendo consequências não só para você, mas para quem você ama também, afinal estamos todos no mesmo barco, não é? Após esse momento de refletir sobre tais dados, passei a olhar para o meu lixo, entendi que a mudança não só era necessária, mas urgente para o bem do futuro do meu filho. Compreendi que olhar para o lixo que produzimos vai muito além de reciclar, olhar para o seu lixo significa mudar hábitos, sair do comodismo, e principalmente compreender que todos os resíduos que entram na minha casa são problema meu. Entretanto refletir sobre as consequências disso para a vida do ser humano e do planeta é mais que ato de responsabilidade social, é olhar para mim e também para o outro. A passos miúdos aqui em casa ainda estamos longe de dar conta de toda as questões que envolvem viver sem produzir tanto lixo, mas estamos na luta com algumas práticas que já foram adotadas como por exemplo o uso de sacolas retornáveis, o cuidado com o desperdício de alimentos, abolição dos canudos, pratos e talheres de plásticos, entre outras pequenas atitudes que aos poucos sabemos que gradativamente além de nos ajudar a ter uma vida mais saudável, temos consciência do quanto queremos tais princípios presentes na vida do nosso filho. Sei que a sementinha da mudança já foi plantada, estamos cuidando para que ela floresça com muitos frutos, pois nada disso é fácil, porém sabemos que a cada pequeno passo faz uma diferença enorme para o planeta e para nossas vidas também.

Simone Souza
Florianópolis - SC - Brasil