ROUPA DE CRIANÇA

No início da gestação do Theo, nosso primeiro filho, fomos presenteados com uma super oportunidade de conhecer Paris. Eu estava concluindo o curso de Moda e me preparava para uma mudança radical… A viagem aconteceu no momento perfeito.

Não ficamos hospedados em Hotel, mas no apartamento de uma família francesa. Enquanto nos deliciávamos no inverno europeu, eles curtiam o verão do Brasil – foi uma “troca de casas” (assunto para outro post).

Uma das coisas que me chamou atenção no pequeno apartamento francês foram as caixas transparentes lotadas de roupinhas de criança – com etiquetas de 1 ano, 2 anos… Nossa “anfitriã à distância” havia guardado as roupas da única filha para um possível segundo bebê. Esse era um assunto novo pra mim. Deixei registrado.

Sete anos mais tarde, me deparo com “a chegada” das roupas para a Nina, nossa caçula. Desde que ela nasceu (na verdade antes de nascer), somos presenteados com as roupinhas da priminha Bruna e da amiguinha Helena! A cada troca de estação chegam até nós sapatinhos fofos e roupinhas cheirosas, cheias de histórias e carinho. Uma delícia!

Não tenho problema nenhum em ver meus filhos usando roupas usadas. Mas já vi a cara feia de algumas mães, chocadas com o fato de que sim, minha filha usa roupas usadas! Sim, já comprei roupas em brechó infantil. E, sim, o planeta agradece!

Vivemos a cultura do descartável. As tendências mudam num piscar de olhos e, mais do que nunca, com a fabricação barata, não pensamos duas vezes antes de jogar as coisas fora! A cada ano produzimos 3% a mais do que no ano anterior. Resultado: crise do lixo.

Pensa comigo: Enquanto milhares de pessoas não tem acesso a água potável, para produzir uma simples camiseta são usados até 2000 litros de água. No caso da calça jeans, podem chegar a 11000 litros! Se quiser ir além, assista o documentário “The True Cost” que discute os impactos negativos da indústria têxtil no planeta (disponível no Netflix).

Não tenha dúvidas, aqui em casa somos super gratos aos parentes e amigos que nos abençoam com essas roupinhas, que depois seguem para outros guarda-roupas. Reutilizar é a nova moda.

Segue uma dica de brechó de roupas infantis que eu curto: Bambolê Kids

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.