LIXO · REPENSE

NOSSO LIXO

Me lembro muito bem de quando comecei a me “preocupar” com a questão do lixo, foi em 2003. Eu fazia faculdade longe da minha cidade e morava com amigas num condomínio que coletava dois “tipos” de lixo, o “sujo” e o “reciclável”. Passei a levar aquilo a sério. Chegava a cortar a haste dos cotonetes, para não ir plástico no lixo orgânico (hoje paramos de comprar cotonete, claro! – para alegria do planeta e dos otorrinolaringologistas).

De lá pra cá muitas coisas mudaram. Voltei pra Floripa, me casei, morei em outros condomínios, fiz outra faculdade, me tornei mãe, etc… No decorrer de tantas mudanças não deixei de lado a questão do lixo. Chegamos a comprar uma lixeira super legal e cara (!) com as quatro cores para o reciclado, mas confesso que nunca procurei muita informação, simplesmente separava e higienizava o lixo “limpo”. Tínhamos duas lixeiras: uma para o lixo da cozinha e dos banheiros (+ tudo o que não pode ser reciclado) e outra para os itens recicláveis (separados e 4 saquinhos: plástico, papel, vidro e metal). Eu me achava praticamente uma ativista do Greenpeace (doce ilusão)!

Lendo o livro Zero Waste Home, da francesa Bea Johnson, aprendi que aquilo não bastava. Além de toda a questão do consumo consciente (descritas em posts anteriores), é muito importante buscar informação, por exemplo, sobre aquilo que é de fato reciclado na sua cidade. Você sabia que nem sempre todos os itens que você separa e envia são reciclados onde você mora?

Inspirada por essa guru do “Desperdício Zero” recorri mais uma vez ao Google onde encontrei o site da prefeitura da nossa cidade e, surpreendentemente, também muitas instruções valiosas sobre como funciona a coleta por aqui.

Aprendi que estávamos separando o lixo de forma errada, como juntar lixo orgânico (cascas de frutas, restos de alimentos) com os “rejeitos” (papel higiênico, absorventes, fraldas descartáveis, lenço de papel, etc.). Mesmo que você não consiga fazer a compostagem do lixo orgânico e envie tudo para o “lixão”, é preciso considerar que alguém colocará as mãos no seu lixo (infelizmente existem famílias que vivem do que coletam nos lixões) e, se os resíduos já estiverem separados, você facilitará este trabalho. O mesmo serve para o LIXO RECICLADO. Não deixe de separar! Mesmo que não haja coleta onde você mora.

Então, basicamente, hoje temos 6 lixeiras em casa:

  • LIXEIRA BRANCA (30ml) – Para o lixo reciclável. Nosso objetivo é que ela seja raramente usada. Antes enviávamos um saco cheio duas vezes por semana. Conseguimos diminuir pra uma vez na semana. Quem sabe um dia, será uma vez no ano!
  • LIXEIRA CINZA (30ml) – Para os rejeitos. Papel higiênico + fraldas (infelizmente usamos descartáveis) + pó, sujeira da casa + restos de cabelo + unhas cortadas + lenços umedecidos (ainda não foi possível exterminá-los da nossa vida). Costumávamos encher 3 sacos por semana. Diminuímos para 2.
  • LIXEIRA MARROM – Para o lixo orgânico. Pelo menos 2 vezes por semana levamos para compostagem. Ele nunca chega a encher. Nos esforçamos para desperdiçar o mínimo. Não usamos saco plástico nela.
  • LIXEIRA DA COZINHA (10ml): Aquela pequena que fica na pia. Eliminamos o saquinho plástico dela. Quando enche esvaziamos na LIXEIRA MARROM e lavamos.
  • LIXEIRA DO BANHEIRO (2): Também eliminamos o saco plástico delas. Quando ficam cheias esvaziamos na LIXEIRA CINZA e lavamos (eca!).

É isso!

Se você ainda não procurou informações sobre a coleta de lixo na sua cidade, gostaria de incentivá-lo a fazer isso o quanto antes (para moradores de Florianópolis, saiba mais aqui).

Por um planeta com menos lixo. 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s